Muitas imagens da arquitectura foram «iconoteologia». Many images of ancient and traditional architecture were «iconotheological». This blog is to explain its origin.
14.4.17

De há uns tempos...*, habituámo-nos a constatar que não há coincidências. Menos ainda meras (ou únicas) coincidências.

É que na verdade, quando se vai à procura - e em geral logo se encontra (é o que se tem passado connosco, quando questionamos e tentamos averiguar); em geral verificamos que há, sim, origens comuns, para imagens que se nos apresentam com semelhanças visuais, totalmente inesperadas.

Ou seja, não é acaso, como podem parecer as duas imagens seguintes (a que se acrescenta, depois, ainda um detalhe da primeira). Reparem:

l. sullivan-chicago.jpg

(legenda)

ChaletBarros-Tamariz.jpg

 (legenda)

l. sullivan-chicago-detalhe.jpg

 (detalhe)

E tendo observado, inclusivamente, esta última imagem, verifica-se que para além dos skyscrapers de que Louis Henry Sullivan foi importantíssimo adepto, tendo contribuído para uma imensa mudança, não só da História da Arquitectura, mas da história, do clima e da ecologia das cidades. Verifica-se também que a inserção de elementos antigos, para si, não teria que consistir apenas em inserções (ou integrações) de ordem superficial...

Sabe-se que integrou esses elementos, antigos e ornamentais, pois para si, as grandes superfícies - que ao longe aparentam ser lisas, afinal receberam (imprimiu-lhes) decorações variadíssimas (que se vêem de perto); e, aconteceu, que agora - pelo menos para nós - algumas outras informações, «fizeram faísca»:

I. e., «a questão dos esoterismos», ou alguns segredos que para muitos estão/ficaram plasmados nas obras arquitectónicas, pela primeira vez aconteceu-nos tê-la encontrado.Deixaram de ser palavras e expressões que eram atiradas, sem mais; mas que agora já passamos a poder ir investigar, agarrando-nos a alguma coisa...

Assim, as temáticas de um doutoramento (o nosso!) que têm estado entre «encalhadas e repudiadas» - já que quem nos orientou, quando percebeu ao que estávamos a chegar "meteu o rabinho entre as pernas..." Ou, dito mais bonito, "deu às de Vila-Diogo". Portanto, e agora ainda com mais infos de Henry David Thoreau, talvez consigamos fechar o ciclo que «um certo orientador» tanto temeu: A História da Arte (ou da Arquitectura), que ele  tanto receou que pudesse um dia surgir!

Para nós o ciclo fica completo: o que vinha desde uma Kalokagatia, que, parece, poderia ser homérica na sua origem (?)**; e que depois, em sucessivas transformações ocorridas durante mais de dois milénios, se foi esbater (findar ou perder a maior força), no contexto de um cristianismo protestante, colonial, nos EUA.   

Por fim - e está a pergunta no título - claro que toda esta evolução, continua a mostrar-se como uma Iconoteologia...

~~~~~~~~~~~~~~~~~~

*Talvez de há 15 anos até hoje?

**Ver em História da Estética, Raymond Bayer, Estampa, Lisboa 1995, p. 27.

link do postPor primaluce, às 00:00 

De
 
Nome

Url

Email

Guardar Dados?

Ainda não tem um Blog no SAPO? Crie já um. É grátis.

Comentário

Máximo de 4300 caracteres



Copiar caracteres

 



 
Primaluce: Uma Nova História da Arquitectura
Abril 2017
D
S
T
Q
Q
S
S

1

2
3
4
5
6
7
8

9
10
12
13
15

16
17
18
19
20
21
22

23
24
25
26
27
28
29

30


tags

todas as tags

subscrever feeds
blogs SAPO