Muitas imagens da arquitectura foram «iconoteologia». Many images of ancient and traditional architecture were «iconotheological». This blog is to explain its origin.
3.11.14

E se no passado as ideias «plasmadas» na Arquitectura eram/foram definidas pelos Teólogos - e mais tarde pelos arquitectos (devendo analisar-se por aqui, e ao nível dessas mesmas ideias a figura do Architectore); pois na verdade esses mesmos teólogos não estavam capacitados para intervir no design das Estruturas dos edifícios: i. e., no dos elementos que respondiam às necessidades da Estática. Ou, dito de outro modo, para definirem os elementos físicos que teriam que suportar as ideias que fossem «inseridas» nas pedras e nas maçonarias das edificações.

Assim, fossem os principais protagonistas Teólogos (ou o tal de "Architectore") na verdade eram precisos construtores, que em França davam, e dão, pela designação de "Maçons".

E os referidos "maçons", organizados em Cooperativas, Agremiações ou Lojas - de gente muitíssimo reputada pela sua competência (leiam sobre os Parler de Praga e as suas obras na Boémia) - ganharam uma tal aura, que tiveram que se tornar selectivos: exigindo o conhecimento de diversas informações como prova de pertença (e de competência cabal) para estar nas referidas agremiações. Eles foram o equivalente aos engenheiros civis de hoje, que exigiam uma senha (ou signo) aos que pretendessem entrar para a citada agremiação.

Disto, que aceitamos como bastante lógico, às elucubrações secretistas e fantasistas, não vai um passo de gigante: mas já vão, claramente, sucessivos e pequenos deslizes, talvez mínimos, mas sempre acompanhados de bastante ignorância. Muito aumentada pelas sucessivas gerações: as que ao contar um conto lhes terão acrescentado cada vez mais pontos!?

Pontos que, quando se vai ver, levaram a percas do sentido «ideológico», primário, de muitas das formas ornamentais. Claramente a percas no sentido de todo um vocabulário que só existe apenas por aquilo que pretendeu significar, ou designar.

Portanto, por este lado houve um enorme reducionismo. Mas também houve outros pontos que acrescentaram outras ideias, as quais, talvez (ou muito certo?) nunca terão estado na mente dos seus autores, nem sequer nas suas obras...?

Enfim, limpinho, limpinho, pode ser/é para nós, altamente duvidoso o sentido que a maioria das vezes os vários autores retiram das obras, e sua iconografia...

Depois, também verificamos que ninguém foi olhar para as Obras de Arte com um mínimo de cuidado, como seria, por exemplo, de Dicionário de Símbolos na mão e a analisar cada imagem, e cada detalhe, muito cautelosamente.

Não foi, mas devia ter ido, porque é o que faz sentido!

LaMaisonEtSaConstruction.jpg

De mais uma das nossas colecções de documentos antigos. Posted for Primaluce, by Glória Azevedo Coutinho.

Depois, já agora, aproveite e compare a cobertura desta "Maison en construction" com a de:

http://fotos.sapo.pt/g_azevedocoutinho/fotos/?uid=KLcdkjvqrwtZ0cBbIeMq

Porque é nos De arche Noe de Hugo de S. Victor que se encontra a raiz de toda a história dos telhados e das coberturas mais típicas, quer da Europa Ocidental, quer, mais especificamente, da arquitectura francesa:

Em suma, é a História da Mansarda, que tal como a dos Telhados de Tesouro (portugueses) é muito mais do que uma invenção de Philibert De l'Orme ou dos Mansart.

http://iconoteologia.blogs.sapo.pt/60040.html

link do postPor primaluce, às 20:00 

De
 
Nome

Url

Email

Guardar Dados?

Ainda não tem um Blog no SAPO? Crie já um. É grátis.

Comentário

Máximo de 4300 caracteres




 
Primaluce: Uma Nova História da Arquitectura
Novembro 2014
D
S
T
Q
Q
S
S

1

2
3
4
5
6
7
8

9
10
11
12
13
14
15

16
17
18
19
20
21

23
24
25
26
27
29

30


tags

todas as tags

subscrever feeds
blogs SAPO