Muitas imagens da arquitectura foram «iconoteologia». Many images of ancient and traditional architecture were «iconotheological». This blog is to explain its origin.
20.11.20

Por aqui continuamos a reunir imagens de círculos entrelaçados, que, como é sabido podem ser «arrumados» de muitas maneiras. Isto é, de acordo com diferentes regras geométricas: abaixo de acordo com uma malha triangular, ou, que também poderíamos dizer: ad triangulum.

fromGombrich-p.68-b.jpg

Mais, sabemos como muitas imagens anteriores ao cristianismo, por diferentes razões - da ordem dos sincretismos, e de acumulações, que sempre se observam nas obras de arte; em resumo, e para abreviar caminho, sabemos que um dia muitas dessas imagens, que já existiam,  porventura com algum valor significante, tornaram-se como que verdadeiros emblemas: neste caso da religião cristã.

Porém, ultimamente, quem acompanha os nossos posts, pode constatar que temos estado mais dedicados aos quadrifólios. Imagens que obedecem a uma malha quadrangular, e que se quisermos também podemos designar ad quadratum (como acima se referiu a designação ad triangulum).

E aqui, há que o dizer, desde há anos, quando entrámos nestes temas, passámos a considerar a colocação do quadrifólio,  numa qualquer obra - como ornamento, como alegoria, como símbolo, ou enfim como mnemónica - que pretendia aludir à Virgem, Mãe de Deus. Designada Theótokos

theotokos-C.jpg

Já escrevemos alguns posts sobre o assunto, como é o caso deste...   Ou ainda deste outro.

Escritos que, muito provavelmente, não serão os últimos dedicados a este tema*. Tanto mais, que é insistente e sempre muito repetida, a inclusão destes Ideogramas nas obras de arte. Desde a antiguidade tardia (como na 1ª imagem seguinte) à arte contemporânea de uma casula desenhada por Matisse. Na 2ª imagem, como a vimos e como a lemos**.

*David Gategno em b.a. - ba Símbolos, Hugin 2000, ver p. 102, escreveu sobre o quadrado: "...simboliza a Terra-Mãe como mediadora divina entre a sua progenitura humana e o amor principial de Deus". E no Dicionário dos Símbolos por Jean Chevalier e Alain Gheerbrant, ed. Teorema, p. 556, sobre o Quatro, e depois de inúmeras associações e significados, quase no fim (e segundo as teorias de Jung) pode-se ler: "a Virgem Maria, em quem o amor (o Eros) atinge a altitude da devoção espiritual;"    - 

**E naturalmente, neste exemplo de Matisse onde a cruz aparece sobreposta a dois trifoils, é para nós demasiado evidente, que os quadrifoils não foram escolhidos e colocados gratuitamente: como uma imagem que se aplicasse apenas porque sim e apeteceu! Um qual mero voluntarismo que apeteceu ao autor, simplesmente por gostar da forma... 

Nada disso, como é óbvio, os quadrifólios foram usados pelo seu significado antiquíssimo.

link do postPor primaluce, às 13:00 

De
 
Nome

Url

Email

Guardar Dados?

Ainda não tem um Blog no SAPO? Crie já um. É grátis.

Comentário

Máximo de 4300 caracteres



Copiar caracteres

 



 
Primaluce: Uma Nova História da Arquitectura
Novembro 2020
D
S
T
Q
Q
S
S

1
2
3
4
5
6
7

8
9
10
11
12
14

16
17
18
19
21

22
23
24
25
26
28

29
30


tags

todas as tags

subscrever feeds
blogs SAPO