Muitas imagens da arquitectura foram «iconoteologia». Many images of ancient and traditional architecture were «iconotheological». This blog is to explain its origin.
18.12.15

Se o tempo não pára, também a Cultura – o desenvolvimento e a expansão de temas bastante antigos – nessa área generalista que podemos reconhecer como o conjunto de conhecimentos e saberes, aí muito menos o tempo também não pára. Evoluindo sempre.
Assiste-se, e felizmente, porque o pensamento não tem que ser entrecortado em épocas, por «tesouras» que cortam o tempo e os seus temas em fatias desconexas: assiste-se frequentemente, repetimos, ao regresso de temas antigos. Não é que eles tivessem desaparecido de maneira definitiva, apenas estavam em águas mais profundas; e os surfistas (ou os muito superficiais deste mundo em que estamos) não sentiam, nem navegavam nessas águas. Só que agora, já se vêem, há várias ideias antigas* a regressar.
Será por uma questão de «temperatura», quiçá um «movimento de convecção»; ou será uma termodinâmica dos fluidos trazida para o Pensamento e para a Cultura?** Essas águas que durante algum tempo tinham ido para o fundo, estão a regressar à superfície: estarão a passar à crista das ondas?
Pois agora, como essoutros (reler a nota ao texto**), apetece evidenciar, por analogia, que há como que uma termodinâmica de fluidos, que se pode/deve aplicar às evoluções do pensamento***. Ou, depois de todos estes questionamentos, pode-se dizer simplesmente, que se assiste a um simples regresso, como é normal acontecer, que os anos 50-60 estão na moda?
Há que olhar para ver: Um ver que se deseja possa ser um acto de compreensão, uma adesão a ideias novas e claras!

excerto-LaurentGERVEREAU-2.jpg

 

 (clic na imagem para legenda, ou aqui)

*A propósito lembre-se o que já escrevemos sobre o nascimento de uma ideia, vindo de um texto de António Damásio.
**Como Johann Joachim Winkelman comparou e estabeleceu analogias entre civilizações e a vida humana. Nesse caso falando de crescimento, de desenvolvimento e decadência de cada civilização. Assim como noutros casos, outros autores fizeram outras analogias; como por exemplo entre a Taxonomia (aplicada à Biologia), para assim referirem – exaustiva e obsessivamente - os Estilos Artísticos e Arquitectónicos. Como se fosse necessário classificar cada espécie, ou cada « família» do grupo dos mamíferos, sem que se pudesse perder um qualquer mínimo item…
***Analogia(s) que facilita(m) os raciocínios e permite(m) avançar na compreensão das mentalidades e do pensamento em épocas diferentes, mas, sem fazer confusões entre as diferentes áreas científicas...

 

link do postPor primaluce, às 13:00 

De
 
Nome

Url

Email

Guardar Dados?

Ainda não tem um Blog no SAPO? Crie já um. É grátis.

Comentário

Máximo de 4300 caracteres




 
Primaluce: Uma Nova História da Arquitectura
Dezembro 2015
D
S
T
Q
Q
S
S

1
2
3
4
5

6
7
8
9
11
12

13
14
15
16
17
19

20
21
22
23
24
25
26

27
28
29
30
31


tags

todas as tags

subscrever feeds
blogs SAPO