Muitas imagens da arquitectura foram «iconoteologia». Many images of ancient and traditional architecture were «iconotheological». This blog is to explain its origin.
26.1.16

Colocamos agora à vossa frente, bem grande, um detalhe da gravura holandesa - cuja data ainda não investigámos (por isso ser o menos interessante...), e que representa o Infante D. Henrique, o Navegador.

GravuraHolandesa-destaque.jpg

 

Com o recorte feito, vejam a inserção na imagem geral de onde foi destacada, e nesta comparem não apenas o cotovelo com um Ideograma que temos vindo a explorar. Mas agora notem também uma fivela, do cinto-filactera que envolve o escudo, do lado direito da imagem.

reparem como a base e suporte do 'Honi Soit Qvi Mal y Pense' - divisa da realeza de Inglaterra -, colocada sobre esse cinto, é ainda ilustrado (para enfatizar não exactamente o sentido da frase, mas a monarquia que habitualmente emprega essa frase) com uma imagem que também está relacionada com a representação do Filioque, desde os tempos mais antigos.

Ou seja, entre várias das imagens seguintes, e a do meio é igual - esquematicamente - ao Portal da Igreja do Outeiro (Bragança); depois à direita desse desenho estão os dois círculos que se intersectam, originando o Ideograma que originou o referido Portal do Outeiro (também a representar a ideia do Filioque); e do lado esquerdo o mesmo Ideograma que está na imagem acima (no cotovelo), e a que temos feito referência, por estar em vários outros elementos. Sobretudo arquitectónicos.

Em suma, nestes últimos Ideogramas (ou invariantes como Kubler lhes chamou), vemos que apenas os contornos exteriores, i. e., também apenas esses podem interessar: sendo retirado o interior do desenho (ou seja a área da intersecção dos 2 circulos*), continuando, mesmo assim, a aludir, por uma mnemotécnica (ou outra técnica que é memorial?) à proclamação de um Deus, que, em 1054, dadas as diferentes interpretações que foram feitas, conseguiu dividir o Ocidente e Oriente, em facções que só muito mais tarde (concretamente depois do Concílio de Trento a divisão ainda se mantinha); repetimos, só muito mais tarde se entenderam. 

Tudo isto de que escrevemos - imagens que são também de uma Teoria de Conjuntos da matemática - eram usadas no pressuposto de uma legibilidade que hoje já ninguém consegue concretizar. Visto que nem os Historiadores de Arte - ou quaisquer outros especialistas...? - sabem (ou querem saber) ler este tipo de Iconografia.

 

Imagens-Representativas-do-Filioque.png

 

 Sobre as imagens leia o texto acima deste post, devendo informar-se que gostaríamos de lhes dar outra aparência, design e coerência visual, mas isso será feito oportunamente, em obra a publicar.

Entretanto reveja outros casos com o mesmo ideograma

*Aqui trata-se da hipótese de leitura da forma, ou em alternativa do seu fundo. Como é sabido a psicologia da visão tem experimentado e feito testes.

link do postPor primaluce, às 00:00 

De
 
Nome

Url

Email

Guardar Dados?

Ainda não tem um Blog no SAPO? Crie já um. É grátis.

Comentário

Máximo de 4300 caracteres



Copiar caracteres

 



 
Primaluce: Uma Nova História da Arquitectura
Janeiro 2016
D
S
T
Q
Q
S
S

1
2

3
4
5
6
7
8
9

10
11
12
13
14
15

17
18
19
20
21
22
23

24
25
27
28
29
30

31


tags

todas as tags

subscrever feeds
blogs SAPO