Muitas imagens da arquitectura foram «iconoteologia». Many images of ancient and traditional architecture were «iconotheological». This blog is to explain its origin.
11.5.12

Ao longo da nossa vida muitas vezes nos perguntámos: porquê? Porquê, as coisas mais variadas... 

Neste caso, porquê um alargar da base do guarnecimento de uma porta. A parte inferior da ombreira, junto às soleiras. E porquê um losango impresso nessa zona do vão?

Em relação a Monserrate, colocámos mais perguntas e até por escrito. A décadas de distância nunca pensámos vir a descobrir a resposta a alguns «desses porquês».

 

Em Cascais, várias vezes, nos anos 70 e 80, fizemos levantamentos de pequenos edifícios da Vila. No exemplo acima são cantarias da Capela de Nsª. da Conceição junto à praia. Mas no centro da Vila, sabemos, porque os medimos e fotografámos, havia imensos casos, quase todos iguais (e iguais a estes). 

 

link do postPor primaluce, às 21:00  comentar

10.5.12

Há dias encontrámos um texto de alguém que se referia a cruzes de lados curvos - chamada cruz pátea - com a maior das estranhezas! Como se não tivessem existido?!

É um tema visual, ou ideograma, do qual também temos  bastantes informações, assim como o seu significado. Assunto já tratado em Monserrate uma nova história, por nos termos apercebido que a Iconografia de D. Afonso Henriques está directamente ligada à cruz pátea, e aos «quadrifolios» que a geram.

 

 

Esta fotografia é de um guarda-vento, numa obra dita neoclássica: a Basílica de Santa Quitéria de Meca, onde os vãos do referido guarda-vento - que são, em regra, imagens da iconografia cristã, apresentam os referidos losangos de lados curvos. Que, por sua vez, se associam de imediato (ou só nós é que os associamos...?) aos quadrifolios dos cistercienses.

Ver também em:

 http://primaluce.blogs.sapo.pt/

link do postPor primaluce, às 17:00  comentar

9.5.12

Depois do que apresentámos aqui nos últimos posts, hoje uma alusão a Nadir Afonso. Já o referimos há uns meses*, apenas sobre as cores, mas o que mais nos atrai no seu trabalho são as formas. O facto de ter sido impulsionado** a empregar formas antigas, que provêem de um imaginário colectivo antiquíssimo. Revejam-nas na imagem; leiam o que encontrámos numa publicação de 1986. 

 

 
"O homem tem grande tendência, necessidade até, de associar as imagens «novas» que vê, a outras que já conhece. Ele só ficará tranquilo depois de as dominar, para as armazenar, procedimento lógico, uma vez que não há ideias sem imagens, o seu suporte." 

 Telo de Morais - artigo intitulado A Criação Artística Testemunha do Espírito, numa compilação de textos, O Cérebro e o Espírito, Colóquio em Novembro de 1985, Médicos Católicos Portugueses, Publicação da Universidade de Coimbra (1986), p. 180.

 

*http://primaluce.blogs.sapo.pt/76081.html

** Usamos a expressão «impulsionado» porque acreditamos que o autor não tenha uma noção, completamente consciente, do valor (ancestral e tradicional) das formas que empregou.

http://primaluce.blogs.sapo.pt/


 

link do postPor primaluce, às 16:00  comentar

8.5.12

Relembra-se a imagem do passado dia 25*. Nela está a génese da mandorla, de acordo com James S. Curl, no Oxford Dictionary of Architecture. Informação que, a par com um desenho do túmulo de Egas Moniz, esteve na base dos resultados e conclusões retiradas da investigação do Palácio de Monserrate.  

Nós explicámos como essa imagem esquemática foi um Ideograma, para traduzir a "Dupla Procedência do Espírito Santo": ideia essencial do Catolicismo, que, inclusive, esteve na origem do Cisma de 1054. Hoje apresentamos uma simples composição, onde alternam, a Mandorla e o Losango.

 

Não vamos dizer em que obras (por exemplo de Miguel Ângelo) esta sequência está patente, mas o facto é que existe: e como é habitual ficou associada aos vãos.  

*http://iconoteologia.blogs.sapo.pt/12826.html

link do postPor primaluce, às 20:00  comentar

7.5.12

Hoje numa imagem recolhida num trabalho de Sandra Costa Saldanha*, um painel de azulejos. E pergunta-se: porque acham que a perspectiva está, propositadamente incorrecta?

 

 

A nossa resposta não é como a de alguns autores que se referem a esoterismos e a charadas!

Não. Nós simplesmente achamos que era essa a forma de transformar os quadrados do pavimento em Losangos (que eram significantes): sinónimos da Mandorla.

Como explicam alguns teólogos - M.-D. Chenu e Henri De Lubac - encontramo-nos, frequentemente, perante lógicas infantis e bastante ingénuas, que seriam, para alguns, de ordem mnemotécnica; mas para nós, elas foram claramente legíveis.

Aliás, se não o fossem, também nunca teríamos captado o que agora defendemos! 

 

*Ver em Sandra Costa Saldanha, A Basilica da Estrela, Real Fábrica do Santíssimo Coração de Jesus, Livros Horizonte, Lisboa 2008, p. 139, fig. 56.  

 

link do postPor primaluce, às 19:00  comentar

6.5.12

Estes são extremamente elegantes, mostrando como, claramente, os efeitos espaciais também podem ter valor gráfico. Tal e qual como se estivessem registados num plano.

 

Vão vê-los a Cascais, no Museu Municipal - Condes de Castro Guimarães. Gozem um passeio nos Parques, na Marina, inalem ar puro, e a calma dos lugares (de preferência não ir ao fim-de-semana)

link do postPor primaluce, às 17:00  comentar

5.5.12

RE: Acrescentando-lhe imagens falantes. Isto é, ideogramas tradutores de ideias directamente associadas ao Símbolo da Fé. 

 

Relativamente à Torre de Belém, de onde provêm os vãos bífores desta fotografia*, note-se que alguns desses Ideogramas foram colocados no século XIX; não são de origem, como todos nós em geral supomos.

 http://upload.wikimedia.org/wikipedia/commons/6/65/Torre_Bel%C3%A9m_April_2009-4a.jpg

 

link do postPor primaluce, às 15:00  comentar

4.5.12

As nossas fotografias esgotam-se. Mas usando imagens públicas*, podemos continuar a chamar a atenção para os Ideogramas. Quantos não estarão aqui combinados, nesta composição - que é o Portal Sul do Mosteiro dos Jerónimos? Não os contámos, nem nos atrevemos a isso. Sabemos que alguns desses ideogramas, naturalistas (e não apenas de génese geométrica), estão também no intradorso, semi-invisíveis, nesta imagem.   

 

Não estão escondidos, como «segredo», mas é a sua localização que só permite que sejam vistos de perto, e de um plano inferior (não de frente).

 *http://en.wikipedia.org/wiki/File:JeronimosSouthPortal.jpg

 

link do postPor primaluce, às 22:00  comentar

3.5.12

...dizemos e repetimos, a composição desse palacete vive, de maneira exemplar, da integração de diversos ideogramas do Cristianismo. Não está lá toda a História da Arquitectura, nem pensar, mas estão algumas imagens, das que chamamos ideogramas. Razão pela qual, para alguns esse edifício é (ou pode ser considerado) um Neomanuelino.

 

Hoje trazemos mais um vão bífore, ou de «luz partida» (pelo «parte-luz»), mas apenas reflectido no capacete do soldado, da imagem acima. E um dia, em Primaluce, havemos de contar a história: como foi que nos apercebemos de mais este exemplo. Esperamos que identifiquem a imagem, aguardando o episódio, que, para nós foi curioso; razoavelmente divertido*...

*http://pt.wikipedia.org/wiki/Nuno_Gon%C3%A7alves

Caso que reforça as nossas teses, relativas a uma Nova História da Arquitectura, que é importante entender, aprofundar e explicar.

PS. E agora leiam sobre "5)  UM CAPACETE INEXISTENTE" em

http://paineis.org/C03d.htm.

Vejam como há quem coloque a questão (nem sabíamos desta análise), e percebam como as verdades absolutas de certos estudiosos - que nos ensinaram muito - essas verdades estão longe de estar estabilizadas. Esses sábios não têm notado como a Iconografia de vários adereços presentes nos chamados Painéis são ideogramas que também estão na arquitectura (e comandaram as suas opções formais). 

Um dia hão-de chegar lá: mas será com estrondo e com muita publicidade, a querer apagar os contributos que muitos «ex-alunos» lhes têm dado. Alunos que simplesmente os admiraram, e que por isso gostariam que caíssem da altivez e arrogância, sábia, mas muito ceguinha (de quem não sabe ver). 

Enfim, foram generosos, chamaram arquitectos à Faculdade de Letras, mas não se entenderam com as informações que esses especialistas da geometria e da imagem lhes devolveram, quando passaram a estar igualmente informados...  

 

link do postPor primaluce, às 21:00  comentar

2.5.12

 

Imagem do Claustro do actual Museu Condes de Castro Guimarães em Cascais

(piso superior)

 

link do postPor primaluce, às 22:00  comentar

 
Primaluce: Uma Nova História da Arquitectura
Maio 2012
D
S
T
Q
Q
S
S

1
2
3
4
5

6
7
8
9





tags

todas as tags

subscrever feeds
blogs SAPO