Muitas imagens da arquitectura foram «iconoteologia». Many images of ancient and traditional architecture were «iconotheological». This blog is to explain its origin.
10.4.12

Continuamos interessados em mostrar como os círculos entrecruzados e entrelaçados eram notoriamente significantes

 

Só assim se justifica o facto de serem obsessivamente repetidos, em versões e em trabalhos que eram difíceis, exigindo muito tempo gasto na realização de detalhes mínimos, quase invisíveis - mas, que seriam necessários para dar sentido às obras?

Vejam em Monserrate uma nova história, a referência às Arcadas de S. Juan de Duero, Soria     

link do postPor primaluce, às 19:55  comentar

9.4.12

Perguntamos, e acrescentamos: então o que é ser mínimo? 

 

Eram detalhes mínimos, como estes, que continham «os segredos» de que muitos autores escreveram? Sondando e pretendendo desvendá-los, como por exemplo fizeram Amadeo, Almada Negreiros, Lima de Freitas? 

A nossa resposta é SIM

link do postPor primaluce, às 18:33  comentar

8.4.12
 

Tão pequenos quase invisiveis...?

Olhando e percebendo o nível - mínimo - a que  certos pormenores chegaram,

é impossível não nos questionarmos:

é impossível ficar pela ideia de que se tratavam de detalhes insignificantes! 

link do postPor primaluce, às 17:42  comentar

7.4.12

Imagem sinónima dos círculos entrecruzados


O Vaticano abriu os seus arquivos, numa exposição intitulada

'Lux in Arcana'

A imagem mostra uma carta que foi enviada ao futuro Papa Celestino V.

Reparem nos selos, que, embora protegidos percebe-se que são em forma de mandorla (como aliás se passa em inúmeros documentos antigos portugueses).

http://www.publico.pt/Cultura/os-segredos-do-arquivo-do-vaticano-estao-a-ser-revelados-a-todos-1540198?all=1

 Ver também em:

http://primaluce.blogs.sapo.pt/90534.html

 

tags:
link do postPor primaluce, às 12:10  comentar

6.4.12

Porque permite provar que mesmo um detalhe mínimo, praticamente invisível,

continuava a não ser descurado...

 

...praticamente, desde o século V! 

Sobre esta questão já houve quem se referisse à vontade de fazer passar um código; uma mensagem

http://primaluce.blogs.sapo.pt/2010/10/23/

 

link do postPor primaluce, às 14:20  comentar

5.4.12

Por isso eram frequentemente associados às fontes de Luz,

que, nas edificações são as janelas

 

 

Neste caso os círculos são ovais ou elipses, 

a lembrarem a solução do túmulo de Egas Moniz 

http://iconoteologia.blogs.sapo.pt/4757.html

link do postPor primaluce, às 12:20  comentar

4.4.12

Tema nascido nos estudos dedicados ao Palácio de Monserrate

Neste caso a imagem é da capa de um livro; a junção das imagens escolhidas não

pode ser mais explícita quanto ao respectivo significado.

 

><><><><><><><><><><><><><><><><><

 

A theme found in 2002, during our researches about Monserrate Palace, in Sintra.In this case the image selected - a book cover - cannot be more explicit and significant: the junction of a mandorla formed by two intertwined circles contains a bird, the dove, to represent the Holy Spirit.

 
Les Éditions Du Cerf
link do postPor primaluce, às 12:10  comentar

3.4.12

 

 Com maior detalhe

 
Grelhas que significavam, traduziam e projectavam (nas formas da sombra e da luz) os desenhos que aludiam a uma Luz, metáfora, que representava o próprio Deus. Ver também em:
onde já se explicou a importância, significante, do entrecruzamento de círculos.
link do postPor primaluce, às 12:21  comentar

2.4.12

 

 

Algures sob uma arcaria, grelhagens de pedra,

numa outra composição de intersecções de círculos

link do postPor primaluce, às 08:39  comentar

1.4.12

Esta fotografia impõe-se na presente sequência,

aconselhando-se a que a comparem com a faixa exterior da Igreja de Santa Maria de Belém, Jerónimos. Ver aqui em 30.03.2012

(e continuamos a destacar os círculos entrecruzados, que são inesgotáveis)
link do postPor primaluce, às 10:00  comentar

 
Primaluce: Uma Nova História da Arquitectura
Abril 2012
D
S
T
Q
Q
S
S

1
2
3
4
5
6
7

8
9





tags

todas as tags

subscrever feeds
blogs SAPO