Muitas imagens da arquitectura foram «iconoteologia». Many images of ancient and traditional architecture were «iconotheological». This blog is to explain its origin.
12.9.13

... ou dá imenso trabalho?

Perceber que a Arte do Ocidente é uma Iconoteologia, e que mesmo a Etnografia (artística), ou o que chamamos Arte Popular, foi às mesmas fontes antropológicas, buscar os mesmos materiais iconográficos com que produziu inúmeros e diferentes artefactos; isto é muito desestabilizador, quase revolucionário?

Quando tudo parecia estar tão estudado, arrumado e organizado:

Tão pacatinho...  

Será que procurar novidades, e olhar para a realidade com mais informações - do que em geral é feito, ou alguns outros fizeram no passado* - é mesmo revolucionário? Por desestabilizar e desinquietar as realidades comezinhas em que vivemos?

Mas não seria este o objectivo do Ensino Superior? Um conhece-te a ti próprio verdadeiramente eficaz?

Em suma, do que vemos, pensar mais e admitir pensar diferente é mesmo muito atrevimento... E nós temo-nos atrevido, e continuaremos, insistentemente, a fazê-lo. 

É que procurar e encontrar é saudável. Dá saúde à mente! 

E assim aqui fica - já que os meios contemporâneos são imensos - para que ganhem também, desta saúde que nos dá força. Leiam**:

 

The Lost Meaning of Classical Architecture: Speculations on Ornament from Vitruvius to Venturi

 

"An enormous door in the way to understand ornaments and architectural shapes,

In this book the author explains how, generally, Greek temples have been concretions: of shapes and materials having some very specific meaning. Afterwards he gives examples and showed how they did work, to «translate» ideas. If one has already other basis and information, can join all of it and make progresses. Applying such notions not only to comprehend Classical Art but also to Medieval - Romanesque and Gothic; and also to Renaissance and Baroque Art. Later (after 18th century), things changed, and perhaps Art and its ornaments is still a Language? Or, may be just in the opposite situation, the meanings of ornaments were lost? And the artistic objects begin to be much more penetrated by a sensorial (visual) beauty, instead of being - as they were before, in ancient times - as a support of communication (or ideology) - an intellectual beauty? So, in order to understand better Ancient Art and Styles, join and read together another book of George Hersey: Architecture and Geometry in the Age of the Baroque."***

 

 

(clic para legenda)

 

*O acesso (e a compreensão) que hoje, em geral, temos em relação à Psicologia, ou até nalguns casos às Neurociências veio permitir olhar para a Arte do passado, com outros meios, ou «instrumentos pensantes» que no passado - há cerca de dois séculos atrás, quando se foi fazendo a actual historiografia - ainda não existiam.   

**Não é publicidade, mas sim um conselho: saiam das tamanquinhas de pau, calcem solas flexíveis...

***Ler em: http://www.amazon.com/review/R28ZBW3Z54XUGC

Voltar a: http://primaluce.blogs.sapo.pt/

bien.faire.et.laisser.dire.gac@gmail.com

link do postPor primaluce, às 11:00  comentar

 
Primaluce: Uma Nova História da Arquitectura
Setembro 2013
D
S
T
Q
Q
S
S

1
2
3
4
5
6
7

8
9
10
11
13
14

15
16
17
18
19
21

22
23
24
25
26
27
28

29
30


tags

todas as tags

blogs SAPO